Skip to content
Eu me desafio dos pés à cabeça

EU ME DESAFIO DOS PÉS À CABEÇA

É sobre acreditar em você, no seu talento, nos seus pés, saber que tem muito a mostrar e nada a esconder. Pois só quem confia em si mesmo, se permite ousar... dos pés à cabeça.

Clear criou um time de craques que se DESAFIA DOS PÉS À CABEÇA. Uma seleção formada por jogadores com grandes histórias de performance, ousadia e cabelos icônicos.

 

Goleiro

CÁSSIO

Clubes: Grêmio, PSV Eindhoven, Sparta Rotterdam, Corinthians

Títulos: Campeonato Gaúcho (2006), Campeonato Holandês (2007/2008), Supercopa da Holanda (2008), Copa Libertadores da América (2012), Mundial de Clubes (2012), Campeonato Paulista (2013, 2017, 2018), Recopa Sul-americana (2013), Campeonato Brasileiro (2015, 2017)

Títulos pessoais: Melhor Goleiro da Libertadores (2012), Melhor Jogador do Mundial de Clubes (2012) e Melhor Goleiro do Campeonato Brasileiro − Troféu Craque do Brasileirão (2015)

Apesar de já ter passado pelo Grêmio e outros clubes internacionais, foi no Corinthians que veio a consagração deste goleiro de 1,95 m, reconhecido tanto pelas defesas incríveis quanto pela faixa no cabelo. E os dados confirmam que Cássio vem fazendo história no Timão: segunda menor média de gols sofridos com a camisa alvinegra, segundo goleiro com mais pênaltis defendidos no clube e segundo arqueiro com mais jogos. Os títulos conquistados e as ótimas atuações em campo também renderam ao craque a convocação para a Copa do Mundo Rússia 2018.

 

RICARDO ROCHA

Clubes: Santo Amaro, Santa Cruz, Sporting, São Paulo, Real Madrid, Santos, Vasco da Gama, Fluminense, Newell’s Old Boys, Flamengo

Títulos: Copa do Mundo (1994), Campeonato Pernambucano (1993), Supercampeonato Pernambucano (1983), Campeonato Paulista (1989, 1991), Campeonato Brasileiro (1991), Copa do Rei da Espanha (1993), Campeonato Carioca (1994)

Títulos pessoais: Bola de Prata da revista Placar (1996, 1989, 1991, 1993) e Bola de Ouro da revista Placar (1989)

Zagueiro

Conhecido como Xerife, Ricardo Rocha foi destaque em todas as zagas que comandou ao longo de sua carreira. Começou jogando como lateral direito antes de se tornar uma grande liderança na defesa de diversos clubes. A posição em campo mudou, mas o bigode, sua marca registrada, não. A partir daí foram muitos clubes, nacionais e internacionais, inúmeras conquistas e um nome registrado na história do futebol.

 

Zagueiro

PEDRO GEROMEL

Clubes: Chaves, Vitória de Guimarães, Colônia, Mallorca, Grêmio

Títulos: Copa Libertadores da América (2017), Copa do Brasil (2016), Recopa Sul-Americana (2018) e Campeonato Gaúcho (2018)

Títulos pessoais: Melhor Zagueiro do Campeonato Português (2007/2008), Bola de Prata da revista Placar (2015, 2016, 2017, 2018), Seleção do Campeonato Gaúcho (2016, 2017, 2018), Prêmio Craque do Brasileirão (2016, 2017, 2018) e Prêmio Rei da América do jornal espanhol El País (2017, 2018). 

Começou na base da Portuguesa e do Palmeiras, mas a sua estreia como profissional foi no Chaves, de Portugal, passando por outras equipes internacionais. A chegada no Grêmio surpreendeu, e a sua presença na zaga se tornou indispensável para o Imortal. A capacidade de liderança e a precisão do tempo de bola fizeram Geromel comandar a defesa com a faixa de capitão e levantar a taça da Libertadores de 2017. 

CAFU

Clubes: São Paulo, Real Zaragoza, Juventude, Palmeiras, Roma, Milan

Títulos: Champions League (2006/2007), Supercopa Europeia (2003, 2007), Supercopa da Itália (2001, 2004), Campeonato Italiano (2000/2001, 2003/2004), Copa América (1997, 1999), Copa das Confederações (1997), Recopa Europeia (1995), Copa do Mundo (1994, 2002), Recopa Sul-Americana (1993, 1994), Supercopa Libertadores (1993), Mundial de Clubes (1992, 1993, 2007), Copa Libertadores da América (1992, 1993), Campeonato Paulista (1991, 1992, 1996) e Campeonato Brasileiro (1991)

Títulos pessoais: Melhor Lateral Direito do Mundo (2005), Melhor Lateral Direito da Europa (2004, 2005), Jogador Sul-americano do Ano pelo jornal espanhol El País (1994), Melhor Lateral Direito das Américas pelo jornal espanhol El País (1992, 1993, 1994, 1995) e Bola de Prata da revista Placar (1992, 1993)

Lateral direito

Com uma carreira completa e cheia de conquistas, Cafu é um dos maiores laterais direitos do futebol. Conquistou o seu lugar na Seleção Brasileira e fez história: único jogador a participar de três finais de Copa do Mundo, capitão que levantou a taça do Penta e o que mais vestiu a camisa canarinho. Como não poderia ser diferente, também deixou a sua marca em todos os clubes pelos quais passou, seja no Brasil ou na Europa. Dá pra acreditar que ele foi recusado em nove peneiras antes de entrar para o São Paulo? O bicampeonato mundial do Tricolor foi só o começo desse gigante dos gramados.

Meia/lateral esquerdo

ZÉ ROBERTO

Clubes: Portuguesa, Real Madrid, Flamengo, Bayer Leverkusen, Bayern Munique, Santos, Hamburger Sport-Verein, Al-Gharafa, Grêmio, Palmeiras

Títulos: Campeonato Brasileiro (2016), Copa do Brasil (2015), Copa do Emir de Qatar (2012), Campeonato Paulista (2007), Campeonato Alemão (2002/2003, 2004/2005, 2005/2006, 2007/2008), Copa da Alemanha (2002/2003, 2004/2005, 2005/2006, 2007/2008), Copa da Liga Alemã (2003/2004, 2006/2007), Supercopa da Espanha (1997), Campeonato Espanhol (1996/1997), Copa das Confederações (1997, 2005) e Copa América (1997, 1999)

Títulos pessoais: Melhor Jogador do Campeonato Paulista (2007), Seleção do Campeonato Paulista (2007, 2015), Seleção da Copa do Mundo da FIFA (2006) e Bola de Prata revista Placar (1996, 2012, 2014) 

Passes precisos e dribles de deixar qualquer marcador sem rumo fizeram a carreira de Zé Roberto deslanchar dentro e fora do País. Estreou na Seleção Brasileira em 1995, com 21 anos, e disputou duas Copas do Mundo. Entre inúmeros títulos e conquistas, aos 42 anos ainda foi o jogador mais velho a fazer gol na Libertadores e a ser campeão brasileiro. Seja como meia ou lateral esquerdo, esse craque chegou longe: uma trajetória de luta de quem nunca tirou os pés do chão.

TINGA

Clubes: Grêmio, Kawasaki Frontale, Botafogo, Sporting, Internacional, Borussia Dortmund, Cruzeiro

Títulos: Campeonato Mineiro (2014), Campeonato Brasileiro (2013, 2014), Recopa Sul-Americana (2011), Supercopa da Alemanha (2008), Copa Libertadores da América (2006, 2010), Campeonato Gaúcho (1999, 2001, 2005, 2011, 2012) e Copa Sul (1999), Copa do Brasil (1997, 2001)

Títulos pessoais: Seleção do Campeonato Brasileiro (2005) e Bola de Prata da revista Placar (2002) 

Volante

Só mesmo um grande craque conseguiria brilhar nos dois grandes rivais do campeonato gaúcho e conquistar o seu espaço tanto no Grêmio quanto no Internacional. O volante acumula títulos importantes pelos dois times, como a Copa do Brasil com a camisa do Imortal em 2001 e a Libertadores de 2006 e 2010 comandando o meio-campo do Colorado. Também jogou muita bola fora do País nesses anos de carreira, e o seu último clube foi o Cruzeiro, onde marcou presença na conquista do bicampeonato brasileiro em 2013 e 2014.

Vem aí mais craques. Fique ligado!